O Brasil é feito por pessoas. Pessoas que desde o seu nascimento enfrentam diferentes desafios que precisam ser superados.
Um dos primeiros pode ser a asfixia perinatal, a falta de oxigênio no período próximo ao nascimento.
No mundo, mais de 1,1 milhão de bebês por ano enfrentam a falta de oxigenação próximo ao seu nascimento. No Brasil, este índice é estimado em cerca de 20 mil crianças ao ano, ou seja, 2 crianças por hora.
A asfixia perinatal é a terceira causa de morte neonatal, representando 23% da mortalidade de bebês recém-nascidos no mundo inteiro. Além disso, esta é a principal causa de lesão cerebral permanente em bebês, causando como paralisia cerebral, deficiência cognitiva, cegueira ou surdez.
Os números são alarmantes e representam as vidas de milhões de pessoas e suas famílias.
Por isso, o Instituto Protegendo Cérebros Salvando Futuros, em parceria com a AACD e o Instituto Jô Clemente, criou em 2020 a Campanha Setembro Verde Esperança, que visa concientizar a população sobre os riscos e o tratamento da asfixia perinatal.
Atualmente, menos de 5% dos recém-nascidos asfixiados no Brasil têm acesso ao tratamento e suporte mais adequado. E esta é uma realidade que precisamos mudar.
Para saber mais, acesse: setembroverdeesperanca.com.br. Compartilhe você também esta causa!
Campanha https://we.tl/t-rVDBzpXBPe