História da SBNped

Augusto Brandão Filho, cirurgião carioca do início do século XX, pode ser considerado o precursor da neurocirurgia no Brasil, tendo sido o primeiro brasileiro a tentar o tratamento cirúrgico de tumores cerebrais em 1924.(1) Também realizou em 1928 a primeira angiografia cerebral no país, sob a orientação de Egas Moniz.(2)
Também no Brasil, alguns fatos são dignos de nota no desenvolvimento da neurocirurgia pediátrica: no início dos anos 50 do século passado, Mário Coutinho, um discípulo de José Ribe Portugal, criou o primeiro serviço de neurocirurgia pediátrica em Porto Alegre, RS no Hospital Santo Antônio, operando crianças vítimas de traumatismo, malformações congênitas e tumores do sistema nervoso central; Paulo Niemeyer, no Rio de Janeiro, descreveu sua técnica de amigidalo-hipocampectomia transventricular e iniciou o tratamento cirúrgico de pacientes com epilepsia refratária, incluindo crianças.(3) Nos anos 60 do século XX, Gilberto Machado de Almeida em São Paulo, despontou como um dos grandes líderes da neurocirurgia brasileira. Ele tinha um interesse especial na neurocirurgia pediátrica, tendo sido pioneiro na subespecialidade. Além disso, foi responsável pela formação de vários neurocirurgiões de destaque da neurocirurgia pediátrica brasileira. Machado de Almeida foi o presidente do 5º Congresso Anual da ISPN (International Society for Pediatric  Neurosurgery/ Sociedade Internacional de Neurocirurgia Pediátrica) que aconteceu em 1977 no Guarujá,  SP.

Nas décadas de 70, 80 e 90 do século passado, um número crescente de neurocirurgiões brasileiros completaram sua formação no exterior, em países como os Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Alemanha e França, vários em importantes centros de neurocirurgia pediátrica. Muitos destes indivíduos demonstraram um interesse especial pela neurocirurgia pediátrica, o que levou a um aumento gradual das sessões da subespecialidade nos congressos da SBN (Sociedade Brasileira de Neurocirurgia). Em 1992, um grupo destes neurocirurgiões com especial interesse na neurocirurgia pediátrica e particularmente ativos dentro da sociedade, fundou o Departamento de Neurocirurgia Pediátrica da SBN. Três anos depois, em 1995, aconteceu em São Paulo o primeiro Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica, sob a presidência do Dr. Hamilton Matushita, um sucesso de público e do ponto de vista de conteúdo científico, com a participação de palestrantes, de renome, estrangeiros e brasileiros e mais de 300 inscritos. Desde então, a cada dois anos, acontece o Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica em diferentes cidades do país, discutindo-se temas de importância na especialidade para neurocirurgiões e médicos de especialidades afins interessados na disciplina de todo o país (Quadro 1). Pela necessidade de integração internacional e visibilidade, em 1999 durante o seu 3º congresso no Rio de Janeiro, o Departamento de Neurocirurgia Pediátrica da SBN se tornou a Sociedade Brasileira de Neurocirurgia Pediátrica (SBNPed) (Quadro 2).

Nunca houve no Brasil uma separação rígida entre neurocirurgiões que praticam a neurocirurgia geral e aqueles que praticam a neurocirurgia pediátrica, como ocorre em alguns países como a França e Canadá. Ainda são raros os neurocirurgiões brasileiros que se dedicam exclusivamente à neurocirurgia pediátrica, mas um grupo crescente tem demonstrado especial interesse na subespecialidade. Menção especial tem que ser feita a um grupo de desbravadores da neurocirurgia pediátrica do país, carinhosamente chamados de “G5”. São eles (em ordem alfabética):  Benicio  Oton  de  Lima,  Hamilton  Matushita,  Helio  Rubens  Machado,  José Francisco Manganelli Salomão e Sérgio Cavalheiro. Este grupo, com persistência e perseverança, alçou a neurocirurgia pediátrica brasileira a níveis de excelência reconhecidos internacionalmente. E com sua liderança aumentam continuamente o grupo de interesse na subespecialidade, além de moldar as futuras gerações de neurocirurgiões pediátricos do país.

Por mérito de todo o grupo, a SBNPed é atualmente uma sociedade reconhecida internacionalmente pela qualidade da produção científica e assistencial de seus membros, com participação ativa no cenário da neurocirurgia pediátrica brasileira e mundial. Algumas de suas realizações:

a) 1999 e 2001: Joint Meetings com o grupo francês de neurocirurgia pediátrica;

b) Em 2008, a SBNPed participou como invited society do congresso da ESPN (European Society for Pediatric Neurosurgery) em Montreux, Suíça, com participação significativa dos neurocirurgiões brasileiros no programa científico.

c) Em Amsterdã em 2012, novamente a SBNPed foi convidada a participar, desta vez como joint section, no congresso bianual da ESPN. Também neste evento foi expressiva a participação dos neurocirurgiões brasileiros nos eventos, com palestras, apresentações orais e pôsteres de valor científico.

d) Em 2014 em Roma mais uma vez a SBNPed foi convidada a participar do congresso bianual da ESPN em joint section, juntamente com a Sociedade Indiana de Neurocirurgia Pediátrica. Neste encontro a participação brasileira também foi expressiva com 22 apresentações orais / pôsteres. Três neurocirurgiões brasileiros foram convidados pela comissão organizadora do congresso a proferir palestras como invited lecturers. A delegação brasileira foi a segunda em número de participantes presentes no evento.

e) A SBNPed participa ativamente da FLANC (Federación Latinoamericana de Sociedades de Neurocirugía), tendo eleito dois presidentes do capítulo de neurocirurgia pediátrica – Artur Henrique Galvão Bruno da Cunha/ 2002-04 e José Francisco Manganelli Salomão / 2008-10. Também promoveu o III Congresso Latino-americano de Neurocirurgia Pediátrica em Porto de Galinhas, PE em 2009 e cursos de educação continuada da FLANC em João Pessoa em  2013 e Belém em 2014.

f) Os esforços da SBNPed, e em especial do Dr. José Francisco Manganelli  Salomão, trouxeram de volta ao Brasil, após 37 anos, o Annual Meeting da ISPN,

que acontecerá no Rio de Janeiro em Novembro de 2014. O Dr. Salomão presidirá este prestigioso evento.

g) A SBNPed igualmente tem orgulho de ter sido parte, junto com outras organizações e associações, da publicação da Resolução RDC nº 344 de 13 de dezembro de 2002 da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que aprova o regulamento técnico para a fortificação das farinhas de trigo e das farinhas  de  milho  com  ferro  e  ácido  fólico,  uma  medida  fundamental   na prevenção de defeitos do tubo neural. (4)

h) Em colaboração com a ESPN (European Society for Pediatric Neurosurgery), a SBNPed organizou em 2004, na cidade de Florianópolis (SC), o primeiro curso do primeiro ciclo do Latin American Course of Pediatric Neurosurgery. (5) Este  curso, voltado para os neurocirurgiões do Brasil e demais países da América Latina, segue os moldes de cursos idênticos, com a mesma programação, organizados pela ESPN desde 1986 no continente europeu. Ele compreende 3

ciclos com uma semana de duração em cada ciclo, abrangendo temas importantes da neurocirurgia pediátrica. A língua oficial do curso é a língua inglesa. O  objetivo deste curso, tanto na Europa quanto no Brasil, é promover o desenvolvimento da neurocirurgia pediátrica através do ensino e treinamento de residentes e neurocirurgiões interessados no tema. Os cursos latino americanos alcançaram grande sucesso dentro da comunidade neurocirúrgica do Brasil e países da América Latina, tendo comemorado em 2013 o 10º ano consecutivo de sua realização. A partir de 2014 o curso conta com o aval da SBN, tornando-se parte da formação dos neurocirurgiões brasileiros.

A SBNPed continua sendo o Departamento de Neurocirurgia Pediátrica da SBN, influenciando decisões referentes à subespecialidade, como o conteúdo científico de congressos promovidos pela SBN, educação e indicação de centros de treinamento em neurocirurgia pediátrica. Apesar de jovem, é uma sociedade madura e atuante com metas e projetos já atingidos e outros planejados para o futuro. Entre eles a inclusão internacional da neurocirurgia pediátrica brasileira, utilização de tecnologias disponíveis para uma comunicação e divulgação de informações mais ágil para todos os neurocirurgiões  interessados na especialidade, programas e políticas de prevenção de malformações  congênitas do sistema nervosos central, programas e políticas de prevenção de acidentes pediátricos, participação no projeto Diretrizes da Associação Médica Brasileira,   participação no Grupo Cooperativo de Tumores Cerebrais na Infância da SOBOPE e o treinamento de futuros neurocirurgiões pediátricos.(6,7)

A NEUROCIRURGIA PEDIÁTRICA NO MUNDO

O primeiro hospital pediátrico na Europa foi fundado em 1802, em Paris, L’Hôpital  des Enfants Malades. O primeiro serviço de neurocirurgia pediátrica foi fundado por Franc Ingraham no Children’s Hospital Medical Center em Boston, em 1929.(8)

A primeira Sociedade de Neurocirurgia Pediátrica de que se tem notícia foi a Sociedade Europeia de Neurocirurgia Pediátrica - ESPN(9) fundada em 1967, por ocasião do primeiro congresso de Neurocirurgia Pediátrica que ocorreu em Viena, na Áustria. A SBNPed é uma sociedade afiliada da ESPN.(10)

A Sociedade Internacional de Neurocirurgia Pediátrica – ISPN foi fundada em 1972 por um grupo de neurocirurgiões visionários(11): Raul Carrea (Argentina), Maurice Choux (França), Steen Flood (Noruega), Bruce Hendricks (Canadá), Wolfgang Koos (Austria), Satoshi Matsumoto (Japão), Jean Pecker (Inglaterra), Anthony J. Raimondi (Estados Unidos),

Jacques Rougerie (França), John Shaw (Inglaterra), Kenneth Till (Inglaterra). Anthony Raimondi organizou o primeiro congresso da ISPN em Chicago, 1972. Em 1973 em Londres, foi criada a revista oficial da ISPN - Child’s Brain. Em 1985, a Child’s Brain mudou seu  nome e passou a chamar-se Child’s Nervous System, revista oficial da ISPN até hoje. Desde 2006, a SBNPed também tem a Child’s Nervous System como sua revista oficial, assim como a ESPN, as Sociedades Coreana, Japonesa e Chinesa de Neurocirurgia Pediátrica. A Child’s Nervous System é uma revista mensal, disponível tanto na versão digital quanto na versão impressa a todos os membros da ISPN. Ela trata de todos os assuntos ligados a neurociências em crianças: anomalias do desenvolvimento e crescimento, doenças degenerativas e hereditárias, neuropediatria, neuroncologia pediátrica, neuropsicologia, neuroanestesia, e neurocirurgia pediátrica.

O próximo desafio da SBNPed é estabelecer critérios básicos para a formação de um neurocirurgião pediátrico no Brasil: na França, é exigido 1 ano de treinamento num centro de neurocirurgia pediátrica; para a AANS (American Association of Neurological Surgeons / Associação Americana de Cirurgiões Neurológicos), uma série de requisitos precisam ser cumpridos para a obtenção do certificado em neurocirurgia pediátrica, entre eles, também,  no mínimo 1 ano de treinamento em serviço especializado.(12) A SBNPed e seus membros têm ainda muitos desafios pela frente, mas também têm otimismo e a certeza de que o objetivo final é de que todas as crianças com patologias neurocirúrgicas sejam tratadas no Brasil com o melhor da tecnologia, da qualidade humana e técnica dos profissionais.